PEGAR EMPRESTADO R$: 250 MILHÕES PARA FAZER ASFALTO É ADEQUADO?

🤔A Prefeitura de Curitiba acaba de encaminhar à Câmara um Projeto de Lei solicitando autorização para contratar um empréstimo de R$ 250 milhões.

A justificativa é usar os recursos para a implantação de aproximadamente 50 km de pavimentação em diversos bairros, 86 km de fresa e recape e 82 km de reciclagem e finalizar as obras da Linha Verde.

Vale ressaltar que, durante esse ano, a Câmara já autorizou a Prefeitura a realizar 3 outros empréstimos: R$ 15 milhões para o programa de mobilidade urbana, R$ 450 milhões (valor atualizado em dólar) para melhorias na Linha Inter 2, que impacta a vida de centenas de milhares de pessoas, e R$ 180 milhões (valor atualizado em Euro) para urbanização do Bairro Novo da Caximba, uma área extremamente vulnerável da cidade.

Votei a favor desses empréstimos porque os recursos terão destinação em projetos que há muito já deveriam ter sido feitos.

Agora, nesse novo empréstimo de R$ 250 milhões, votarei contra! Explico os motivos:

1) Parte do empréstimo será usado para terminar a Linha Verde. Eu propus uma CPI para investigar os problemas nas obras da Linha Verde. Dos 38 vereadores, somente 10 assinaram comigo pela abertura da CPI, pois a Prefeitura simplesmente não deixou que os vereadores da base assinassem. Por que esse receio? .
2) O endividamento já realizado apenas esse ano soma um total de aproximadamente R$ 650 milhões. Como essas dívidas serão jogadas para as próximas administrações, o valor já atingido é até maior que o desejável. Acrescentar a esse montante mais R$ 250 milhões é irresponsável.

3)Gastando cerca de R$ 7,5 milhões em propaganda, a Prefeitura exaustivamente anunciou que executou o maior programa de asfaltamento da história de Curitiba. Não é chegada a hora de priorizar também Educação, Saúde e Segurança? Com R$ 185 milhões (menos do que o valor solicitado pela Prefeitura), cada escola municipal poderia receber um aporte de R$ 1 milhão. Esse valor faria uma revolução na Educação de Curitiba, reformando as precárias e deterioradas estruturas físicas das escolas e levando pra elas equipamentos pedagógicos adequados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.