Quais são as propostas contra a corrupção?

O QUE DEFENDO?  

A ALTERAÇÃO DAS LEIS QUE TRATAM DAS HIPÓTESES DE SIGILO DE DADOS E DOCUMENTOS DO PODER EXECUTIVO:

Vou trabalhar para que sejam alteradas as leis que tratam das hipóteses de sigilo de dados e documentos do Poder Executivo, para que continuem sendo respeitados os casos de interesse nacional, mas sem que a transparência e o interesse público sejam prejudicados. 

  O COMBATE A CORRUPÇÃO COM A FISCALIZAÇÃO DO PODER EXECUTIVO:

Vou trabalhar para que o Presidente da República, seus ministros e os órgãos e programas do Poder Executivo sejam constantemente fiscalizados. Esta é a principal função de um parlamentar. Como vereador de Curitiba, sempre fiscalizei as ações da Prefeitura e denunciei o que considerava errado. Agora estou pronto para, no Congresso Nacional, fiscalizar o Poder Executivo em nível federal. Quantos escândalos de corrupção teriam sido evitados, se os senadores e deputados federais levassem a sério esta atribuição?

  O FIM DO FORO PRIVILEGIADO: 

Vou trabalhar para que o Projeto de Emenda A  Constituição que acaba com o foro privilegiado para quase 55 mil autoridades finalmente saia da gaveta e seja colocado em pauta para votação. Vale lembrar que, neste ano, levei a um senador da república a sugestão de submeter este Projeto para a consulta popular por meio de um plebiscito. Com isto, independentemente da vontade do Congresso Nacional, o fim do foro privilegiado seria votado pela população, tornando-se lei em caso de aprovação.

  A DESTINAÇÃO DE EMENDAS SEGUNDO CRITÉRIOS TÉCNICOS:

Vou trabalhar para que as minhas emendas parlamentares sejam destinadas a munícipios, entidades ou programas sem que critérios políticos sejam o norte para tomada de decisões. Trocar verbas do orçamento federal pelo apoio de prefeitos e vereadores, sem que critérios técnicos ou prioridades sejam levados em consideração, é um dos problemas a ser enfrentado atualmente no Congresso Nacional.

  A EFETIVA INDEPENDAŠNCIA ENTRE OS PODERES:

Vou trabalhar para que os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário trabalhem realmente de forma independente. A prática comum no Brasil o Judiciário indiretamente legislar, o Executivo oferecer benesses ao Legislativo em troca de apoio no parlamento e os três poderes não exercerem o papel de um fiscalizar o outro. Curiosamente, é raríssimo ver algum deputado federal denunciar estas indevidas e nefastas interferências entre os poderes. Por que será?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *